Sobre o que as mães tanto conversam?

Nós, mulheres-mães não pensamos só em filhos. Ainda somos pessoas inteiras, embora nossa individualidade fique sim bastante afetada após o nascimento das crias. Mas essa demanda de estar o tempo inteiro preocupada com as necessidades das crianças também cansa, e às vezes tudo o que queremos é falar de qualquer outra coisa que não sobre o universo infantil. Nós não nos interessamos apenas por assunto de fraldas, escola e festa de aniversário, tampouco nosso segundo assunto preferido são dicas de beleza para “recuperar o corpo perdido”. Muitas vezes ficamos monotemáticas porque sobra para nós desvendar todos os segredos da criação de um bebê. Não nascemos sabendo sobre isso. Não é inato porque somos mulheres. É uma busca constante de um aprendizado intensivo que somos obrigadas a realizar sozinhas porque quase sempre os homens se isentam da responsabilidade de saber como manter o próprio filho vivo, saudável e inteiro.

Quantos pais frequentam ativamente grupos sobre pediatria, cuidado com filhos, grupo de whatsapp da escola? Quantos estão lendo sobre como auxiliar a mulher na amamentação, sobre tipos de fralda, sobre introdução alimentar, desfralde, desmame, métodos pedagógicos? Sobre o que conversam os homens que são pais quando se reúnem? Sobre o preço das fraldas? Por que tambem não estão trocando impressões sobre o desenvolvimento dos seus filhos, sobre textura de cocô, sobre a melhor maneira de tirar mancha de vômito das roupas? Por que somente a mulher que se sobrecarrega se ocupando desses temas a ponto de não sobrar espaço para falar de outra coisa?

Nós ainda estamos aqui, somos pessoas, não deixamos de ser também as mulheres que fomos um dia antes de nos tornamos mães. Gostamos de falar sobre política, religião, esportes. Sobre a crise no Oriente Médio e o perigo eminente vindo da Coréia do Norte. Falar da novela. Da escalada da violência. Pensamos sobre vida, morte, filosofia, alma, corpo. Falar sobre relacionamentos. Os nossos e todos os outros. Sobre nutrição, educação. E sobre sexo, orgasmos, genitálias vestidas e desnudas. Sobre as polêmicas da semana. Nosso tema predileto nem sempre são as traquinagens dos pimpolhos, acredite. Na verdade ficamos até um pouco saturadas deste assunto. Cansa ter sua inteligência reduzida às habilidades de maternar. Temos muito a dizer.

Ouçam as mulheres-mães. Ter tido filhos só tornou o nosso repertório mais rico, vasto e interessante. Com possibilidade de um olhar mais humano, mais sábio, de quem passou e passa por mil dilemas, transformações e releituras todo santo dia. Com um conhecimento um tanto visceral de quem tem que lidar com os desafios e limitações da maternidade.

E aos homens, que assumam sua paternagem dividindo a carga mental de aprender sobre cuidado e desenvolvimento dos filhos. Hoje em dia há muita informação boa disponível e gratuitamente, bastando apenas algum interesse para encontrar. E vamos todos ficar mais leves para conversar sobre tudo e sobre nada.

Cila Santos

Cila Santos

https://cilasantos.medium.com

Escritora, feminista, mãe e ativista pelos direitos das mulheres e das crianças. Segue trincando os dentes e indo em frente. Vamos juntas?

Posts Relacionados

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *