Sobre

O que é o Militância Materna?

Quando nos tornamos mães estudamos sobre gestação, parto, amamentação, alimentação, comunicação não-violenta, criação com apego e mais um monte de outras ferramentas para nos ajudar a lidar com nossas crianças. Todos esses temas são fundamentais, mas, muitas vezes não paramos para pensar na socialização que estamos oferecendo, em como estamos preparando-as pro mundo, vamos reproduzindo os mesmos padrões, condicionamentos e valores que recebemos sem nenhuma criticidade. Não avaliamos que a realidade que crianças têm para enfrentar é de dor, violência, misoginia, racismo, elitismo.

Existe nossa casa, onde teoricamente damos todo apoio e proteção as nossas crianças, e existe o mundo, para onde elas irão com os valores que ensinaremos. E o mundo é essa realidade onde impera desigualdade, violência, injustiça, machismo, abusos de toda ordem, competição desenfreada, dificuldades emocionais e relacionais. É uma vida que, sabemos, não foi feita para dar certo.

Como preparar crianças para isso?  Como ajudá-las a transformarem-se em pessoas que sobreviverão com um mínimo de equilíbrio mental e emocional e ainda dispostas a fazerem melhor que nós pelo mundo que está aí? Pessoas que ao menos consigam olhar criticamente para a realidade, consigam defender-se, que ocupem espaços? 

Foi pensando em trazer essas reflexões que o Militância Materna foi criado em 2017. O que começou como um blog que propunha-se a fazer reflexões críticas sobre a maternidade é hoje um projeto educacional que produz e dissemina conteúdo sobre maternidade e feminismo para apoiar a criação de crianças mais preparadas para uma sociedade cheia de desafios como o nossa. 



Quem faz o Militância Materna?

Cila Santos
oi, olha eu aqui!

Meu nome é Cila Santos, escritora, feminista e mãe de um menino. Eu sou do Rio de Janeiro, onde moro atualmente. Sou formada em Comunicação Social, trabalhei com relações públicas, jornalismo, marketing, designer, webdesigner e tudo mais que você pode imaginar dentro da área e por isso mesmo toda a realização do projeto Militância Materna (que envolve identidade visual, planejamento de conteúdo, designer de peças para mídias sociais, programação e manutenção de website e principalmente a escritura do conteúdo) é feita por mim.


Fui escritora antes de me tornar mãe, e fui mãe antes de me tornar feminista. Foi a maternidade me trouxe até aqui, hoje, escrevendo sempre, escrevendo tanto, sob uma perspectiva mais libertadora de criar nossos filhos. Foi só a partir da intensa transformação percebida com minha condição de “mãe” que pude perceber e entender o que é ser “mulher”, e me debruçar sobre os escritos de teoria feminista de tantas mulheres maravilhosas que me antecederam. É o meu jeito de tentar deixar um mundo melhor para o meu filho. E tentar deixar um filho melhor para o mundo.


Por que o Militância Materna existe?

Por uma educação antipatriarcal, antiracista e anticapitalista. Ousar sonhar e lutar por um mundo melhor, menos violento e cruel para mulheres, meninos e meninas pode ser chamado de utopia, mas utopia é apenas a revolução que ainda não aconteceu. Mas acontecerá, chegamos até aqui resistindo a séculos de opressão. E a revolução será materna!


Apoio e parcerias

O site está aberto para parcerias, veiculação de publicidade e divulgação de produtos e serviços desde que estejam minimamente alinhados com as ideias que aqui são defendidas. Basta entrar em contato.

Para saber como apoiar, clique aqui.